Airbnb limita tempo para aluguel em Londres e Amsterdã

Airbnb limita tempo para aluguel em Londres e Amsterdã

O Airbnb determinou um limite automático de noites que um hospedeiro pode alugar seu imóvel, em um momento no qual a plataforma enfrenta pressão crescente de cidades e governos em diferentes continentes.

Os hospedeiros agora precisarão ter uma licença para alugar seus apartamentos por mais de 90 dias por ano, no caso de Londres, e por período superior a 60 dias para imóveis em Amsterdã, segundo comunicados da empresa nesta quinta-feira.

O número de dias não foi arbitrário. De acordo com o site do jornal “The Wall Street Journal”, eles representam o limite legal dessas cidades para aluguel.

O limite automático da listagem dos imóveis na plataforma vai começar a valer a partir do ano que vem. Os anúncios terão contadores de dias para controlar o aluguel.

“Nós queremos ser bons parceiros para todos em (Amsterdã) e garantir o que o compartilhamento de lares cresça responsável e sustentavelmente”, explicou James McClure, gerente-geral do Airbnb para o Norte da Europa.

Em Amsterdã, o Airbnb também vai promover uma nova ferramenta para vizinhos compartilharem preocupações sobre um imóvel listado no site, incluindo queixas sobre barulho.

Muitos moradores da capital holandesa reclamam que turistas vagando pelas ruas com malas e grupos barulhentos que vão à cidade para festejar estão tornando a vida no centro impossível.

 

MULTA EM BARCELONA

Além disso, a empresa é cada vez mais citada como a razão pela qual está ocorrendo uma alta acentuada nos preços de moradias em Amsterdã.

Autoridades de muitas cidades apontam sites de aluguel pela internet como responsáveis pelo aumento no custo de vida para os residentes do local. No fim do mês passado, a prefeita de Barcelona multou o Airbnb e o Homeaway em € 600 mil cada por considerar ilegais os anúncios nas duas plataformas.

“Tivemos uma discussão com os boroughs (distritos) de Londres para entender suas preocupações sobre garantir o cumprimento da lei existente, e essa decisão do Airbnb é um passo adiante muito positivo e sensato”, afirmou James Murray, vice-prefeito da capital inglesa para o desenvolvimento habitacional e residencial em um comunicado também nesta quinta-feira.

Em junho deste ano, a Bloomberg noticiou que prefeitos e representantes de algumas cidades, entre elas Nova York, Paris e Seoul, iniciaram um primeiro esforço orquestrado para produzir uma legislação comum para os aplicativos da assim chamada economia compartilhada.

Quem é o autor? Nossa Londres

Notícias, Magazine; Publicidade - Londres UK